in

Imagens Fortes: Grave reação alérgica deixa bebê com o rosto desfigurado, família pede socorro

A pequena Helena mora com a família na cidade de Anápolis, localizada no interior do estado de Goiânia. De acordo com as informações repassadas pelo portal de notícia online do jornal ‘Metrópoles’, a família de Helena está em desespero com o estado de saúde da garotinha de 1 ano de idade, que até poucos dias era saudável.

PUBLICIDADE

Hugo Cristiano Penno da Silva, 38 anos, pai de Helena, revelou que há cerca de uma semana a filha estava bem, dando os primeiros passinhos e dando risadas fazendo a alegria da família.

O pai de Helena revelou que a garotinha começou a apresentar alguns espasmos há aproximadamente um mês. Helena foi levada ao médico e após alguns exames o médico que a atendeu receitou um antiepilético.

Ainda segundo Hugo, o medicamento foi introduzido com uma dosagem baixa que deveria ser aumentada com o passar dos dias, mas neste período a bebê passou a apresentar febre persistente.

PUBLICIDADE

Mais uma vez os pais buscaram ajuda médica, desta vez levaram a menina na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Anápolis.

“Levamos numa UPA em Anápolis, e a médica disse que era virose. Em seguida, manchas apareceram na pele dela. Levamos na UPA de novo e disseram que era rosácea, passando mais um remédio e antialérgico”, contou Hugo.

PUBLICIDADE

Porém o estado de saúde de Helena continuou piorando e no último dia 9 de setembro começaram a aparece bolhas em todo o corpo da menina, contudo, o médico que estava acompanhando o caso afirmou que isso era normal.

As lesões começaram a piorar consideravelmente e os pais decidiram levar Helena Hospital de Queimaduras de Anápolis. “A médica de lá mandou internar assim que a viu. Diagnosticaram o quadro como sendo consequência da Lamotrigina”, pontua o pai de Helena.

O pai de Helena fez questão de ressaltar que ele e a esposa seguiram apenas as orientações médicas e que estão desesperados com o estado de saúde da filha.

A bebê precisou passar por várias raspagens na pele e por procedimentos de hidratação, contudo, segundo o médicos que acompanham o quadro de saúde de Helena, provavelmente ela ficará com marcas na pele pelo resto da vida, mas que a prioridade neste momento é manter a pequena viva.

 

O caso é grave, Helena teve 72% do corpo queimado e no último sábado (11), foi internada Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do hospital de queimados. A família pede ajuda para custear o tratamento da garotinha e criou uma vaquinha virtual para conseguir pagar os cuidados necessários.

Helena Cristina Pereira

Veja como era Helena antes de adoecer:

 

 

Via: metropoles.com

Escrito por Fabiana Batista

Jornalista digital, experiência em criação de conteúdo informativo e imparcial. Verdade e liberdade de expressão são essenciais na vida do cidadão.